Histórias

livros-peq

Olhou para o alto da estante e viu alguns de seus livros, organizados sistematicamente. Por um segundo, pensou em repassá-los, mas desistiu. Ainda não poderia ler o último ponto final da página derradeira do romance. Ainda não.

Cansada, sentou-se em sua cama, acendeu o abajur e junto com ele, as memórias. Os olhos, fechados, transportaram-na diretamente ao dia em que se conheceram. Com intensidade viveram seus encontros. E com pesar, viram-se com outros amores e paixões. Entre eles, nada se previu. E diante de tantas incertezas, melhores foram os dias de diversão que culminavam com o furor incontrolável do desejo acolhido. 

Os anos se passaram e a juventude excitante deu lugar à calmaria dos que envelhecem. Separados há anos, viviam em lugares que não comportavam paixões.

Na casa dela, a campainha finalmente toca e uma pequena caixa lhe é entregue. Dentro, um livro. O remetente, desconhecido, suscitou dúvidas e cutucou algo nela adormecido – a curiosidade. Pensou ser engano, mas a letra no local do destinatário era clara e, com facilidade, leu seu nome. Resolveu devolver a gentileza, enviando, para aquele mesmo endereço, um dos seus livros preferidos. A cada nova encomenda à sua porta, um novo remetente, com nome, muitas vezes, inusitado. Apenas o endereço se manteve o mesmo por todo o tempo em que se corresponderam.

Para ela, não foi difícil saber quem, na verdade, lhe enviava os títulos. Tentavam, assim, restabelecer o que lhes fora roubado – histórias. Ademais, divertiam-se. Trocaram inúmeras preferências literárias e com o tempo, passaram a enviar, junto com os livros, o motivo daquela paixão. “Travessuras de uma Menina Má”- encontros e desencontros; “Cem Anos de Solidão”- “Tudo é questão de despertar sua alma”; O Tempo Entre Costuras – antepassados.

Finalmente namoraram. Não da forma convencional. A cada novo livro, reflexões e novidades. A cada personagem, projeções e expectativas. 

Um dia, marcaram um encontro real, no café de uma livraria. Ela o esperou em uma mesa discreta, de apenas dois lugares. Sentaram-se de frente e olharam-se fundo, inferindo a leitura de seus corpos e reconhecendo pensamentos.

Ele foi seu refúgio. Ela, a personagem mais forte que conheceu. Sua história de amor, o melhor livro que nunca escreveu.

Ainda se folheiam. Diariamente.

7 comentários sobre “Histórias

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s