Fluidos

aviao-1

De olhos fechados e sentada na poltrona do avião, tentava incessantemente dormir. O desconforto do assento e a reviravolta dos acontecimentos nas últimas quarenta e oito horas, lembravam-na de que o mundo é líquido – escorre.

Entre o vinho e a água, que bebia alternadamente, ansiava pelo alento que encontraria na chegada. Mas não encontrou colo, nada. E perguntou-se por que ele não veio.

Eram poucos os dias que ali estaria e resolveu lhe dar outra chance. Aceitou o convite para o encontro e reacendeu, através de velas coloridas e música latina, sua libido. A campainha finalmente soou e ele entrou – na casa, na vida, na intimidade. No vinho e na água. Tornou-se fluido e permeou cada célula do seu corpo. Não foi embora sem antes lhe dizer quem era:

– “Sou quem te confunde.”

Sobrevoando o Atlântico, na volta para casa, percebera que adotara a estratégia errada. Assistir Woody Allen a deixara ainda mais pensativa. Era como colocar em prova suas escolhas. E ali, corpo e mente digladiavam-se. Até o destino final.

Um comentário sobre “Fluidos

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s